...

B. O. ANIMAL

Página de Registros, o Blog B.O.Animal ajuda a denunciar e arquivar casos testemunhados por Protetores e Simpatizantes da Causa Animal para não se deixar esquecer dos agressores (nem sempre punidos) e cúmplices de maus tratos e ocultação da verdade. Além de oferecer matérias importantes e interessantes sobre a vida animal, saúde, idade, alimentação, receitas caseiras, tirando dúvidas entre leitores sobre tratamentos e socorros!

Demos o primeiro passo, buscamos apoio e lutamos por Justiça às Vítimas, fatos que foram testemunhados e registrados por Protetores e Simpatizantes da Causa Animal são divulgados e arquivados, não conheceríamos os três maiores criminosos de outra forma: CAMILA CORREIA, DALVA LIMA DA SILVA e CLÁUDIO CÉSAR MESSIAS.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Vira Lata idosa salva criança de Pit Bull - Paraná


05/01/2012 


Vira-lata salva menina de três anos 



de ataque de pit bull, no Paraná


Cão que atacou estava solto em rua de São José dos Pinhais.
'Tchuca' morava na rua e era alimentada pela comunidade.



Fernando CastroDo G1 PR

Um cadela vira-lata salvou a vida de uma menina de três anos, que estava prestes a sofrer um ataque de pit bull, na sexta-feira (30), em São José dos Pinhais (PR). A criança havia acabado de sair de casa, acompanhada da mãe, da avó e da cadela, quando o animal avançou, sendo interceptado no último instante. A cadela, conhecida como Tchuca, ficou gravemente ferida.
“O pit bull estava dentro do quintal, mas quando viu a gente ele saiu, porque o portão estava entreaberto. Ele veio em cima da menina. O foi susto foi tão grande...”, contou ao G1 a mãe da criança, Mara Ribeiro, de 35 anos. Na opinião dela, a intervenção feita por Tchuca, que morava na rua e era alimentada pela vizinhança, foi salvadora. “Não dava dois metros de distância”, disse.
Tchuca, como é conhecida a cadela salvadora, ficou gravemente ferida (Foto: Laertes Machado)Tchuca, como é conhecida a cadela salvadora, ficou gravemente ferida (Foto: Laertes Machado)
Os cães começaram a brigar, só sendo interrompidos com a ajuda de quatro pessoas que passavam pelo local. Com pedaços de madeira, eles bateram no pit bull para que ele soltasse a vira-lata. “Mesmo com eles batendo, ele não soltava, até que ela conseguiu e correu. Então eles fecharam o cachorro no portão”, lembrou Mara.
O pit bull estava em uma oficina desativada. Mara conta que o antigo proprietário se mudou e deixou o animal para trás, e que o novo dono não consegue lidar com o cão. “Ele falou que se não der jeito vai soltar ele na rua mesmo”, contou, alertando para gravidade da situação. “Eu acho que ele fica mais bravo ainda porque está sozinho”.
Após a confusão, Tchuca procurou refúgio na casa de Mara, que costuma acolher o animal durante a noite e alimentá-lo. Ela continua por lá após ter sido atendida por um médico veterinário. “Precisa ver como ela ficou, está toda costurada. Ela já é velhinha, tem mais de 10 anos. Ela não comeu até hoje, está com febre...”, lamentou Mara.
Alívio

Após a tensão do ataque, apesar dos machucados de Tchuca, Mara se diz aliviada pela filha ter escapado do cão. “Nossa, eu nem te falo, porque eu perdi meu marido há quase um mês. Deus me livre mais um caso”.

Mara diz não ter raiva do pit bull, que, segunda ela, não pensa no que faz. A preocupação agora é com a recuperação de Tchuca, que como recompensa pelo salvamento ganhou um novo lar. “Ela é nossa, está na nossa casa, sendo cuidada com todo carinho”, contou.